Rede de contatos, formação técnica ou experiência?

O fato de um empreendedor possuir uma ampla rede de contatos, uma boa formação técnica e alguma experiência profissional, está diretamente relacionado com a avaliação do seu negócio.

Cada um desses elementos tem sua função e pode ajudar o empreendedor de formas diferentes. Qual deles seria o mais relevante para um investidor? Como a concentração excessiva de algum deles ou a falta de outro pode influenciar na avaliação de uma empresa? Continue lendo “Rede de contatos, formação técnica ou experiência?”

O clichê da projeção financeira conservadora

Depois que concordamos que é necessário construir uma projeção financeira, e que dificilmente alguém conseguiria investimento se não tivesse alguma ideia do que fazer com o dinheiro, vem a pergunta: o que apresentar? Aqui mora o perigo. Continue lendo “O clichê da projeção financeira conservadora”

Vendas de empresas e retornos de fundos brasileiros

A principal razão para investidores usarem fundos de venture capital como veículos de investimento em empresas emergentes é a mitigação de risco através da diversificação. A estratégia de portfólio é capaz de anular muitos fracassos com alguns poucos sucessos. A famosa estratégia de não colocar todos os ovos em apenas uma cesta. Essa é a lógica básica desse e de outros tipos de fundos. Continue lendo “Vendas de empresas e retornos de fundos brasileiros”

Paixão sem preparo não adianta nada

Já escrevi em posts anteriores que a captação de investidores deve ser encarada como uma venda, principalmente nesse post aqui. E acredito cada dia mais nisso. Uma das minhas intenções escrevendo artigos é dissecar o processo de captação e analisar em detalhe cada etapa, melhores práticas e pontos de vista. Neste artigo faço uma reflexão de como a paixão do empreendedor influencia na conquista do investidor. Continue lendo “Paixão sem preparo não adianta nada”

As duas únicas variáveis que determinam o valuation da sua startup

Um dos principais equívocos quando se fala em valuation de empresas nascentes e emergentes, as startups, é a ordem em que as etapas acontecem no processo de cálculo. A maioria das pessoas acredita que é assim:

1. Calcular o valuation da empresa;

2. Estimar o volume do investimento necessário;

3. Calcular a participação societária do investidor a partir dos resultados acima. Continue lendo “As duas únicas variáveis que determinam o valuation da sua startup”

Os 7 desperdícios do empreendedorismo

Apesar de trabalhar com venture capital há dez anos, eu me formei em engenharia de produção mecânica. Aos olhos de um desavisado pode parecer que uma coisa não tem nada a ver com a outra, mas penso que a realidade é bem diferente. Além de ter uma intimidade com números que me ajuda muito no dia a dia, engenharia é basicamente a arte de resolver problemas, assim como o empreendedorismo. Continue lendo “Os 7 desperdícios do empreendedorismo”

O que todos os nossos investimentos têm em comum?

Certa vez me perguntei o que realmente fez a Bzplan investir nas empresas que investiu, que critérios usou. Fiz uma lista genérica, independente de modelo de negócios ou setor de atuação, na qual nada estivesse explícito em nossa tese de investimento.

Depois de analisar a lista de fatores, percebi que muitas dessas características eram comuns a todas as empresas em que já investimos. Continue lendo “O que todos os nossos investimentos têm em comum?”

Volume de informação não é sinônimo de qualidade

Você lembra das provas discursivas dos tempos de ensino médio? Eu lembro especificamente das provas de história. Às vezes eu respondia à pergunta em duas linhas, mas pensava: duas linhas é muito pouco, tenho que escrever mais. E lá iam mais 10 linhas inúteis, que só aumentavam o tempo de correção e a ineficiência do ensino e fortaleciam meu paradigma de que volume de informação é igual a qualidade. Continue lendo “Volume de informação não é sinônimo de qualidade”

Quantas funções tem uma projeção financeira?

A grande maioria dos empreendedores que eu conheço odeia fazer projeção financeira. Muitos acham inútil, outros falam que isso é coisa de investidor brasileiro, que investidor americano não pede, que é apenas um exercício de futurologia e outros não tem paciência de lidar com os números. Continue lendo “Quantas funções tem uma projeção financeira?”