Nossos 11 critérios para avaliar os empreendedores

empreendedores sendo avaliados

A qualidade dos empreendedores é essencial para o sucesso de qualquer negócio. Portanto, como dizem: investir em empresas nascentes e emergentes, mais do que qualquer outra coisa, é um investimento em pessoas.

Mas como os gestores de venture capital avaliam os empreendedores?

A seguir, listo os 11 principais critérios de avaliação de empreendedores usados por investidores. Junto a cada um deles uma breve explicação de quando e como apresentar cada uma dessas características.

1) Preparo e domínio do plano de negócios

Nada é tão fácil de perceber quanto um empreendedor mal preparado. Fica muito evidente. Seja na apresentação ou nas primeiras perguntas. O nível de domínio que as pessoas têm do mercado, das necessidades do cliente e da própria empresa.

Entretanto, parece um pouco estranho recomendar isso, mas o empreendedor deve estudar muito o seu próprio plano de negócios. É muito comum fazermos perguntas e não termos respostas. Seja por falta de uma simples pesquisa ou porque a equipe não domina as métricas mais básicas.

Sendo assim, o empreendedor também deve estudar a dinâmica do venture capital, saber o que é e como funciona esse tipo de investimento.

Como apresentar: controle a ansiedade, respeite o processo de cada investidor e responda todas as perguntas sobre o negócio de forma segura.

2) Empatia pessoal e habilidade de comunicação

A comunicação e o relacionamento pessoal são aspectos essenciais da relação empreendedor e investidor. Porém, muito pouco se fala sobre elas.

No final das contas, a sociedade é como um casamento, os dois ficarão no mínimo 4 anos juntos. Portanto é importante se darem bem e conseguirem se comunicar.

Como apresentar: seja você mesmo, não tente criar uma persona para falar com investidores. Treine muito a sua apresentação, desenvolva versões de 1, 5, 15, 30 e 60 minutos e pergunte sempre para o seu interlocutor quanto tempo ele tem.

3) Experiências e resultados anteriores

Quando o empreendedor possui experiências anteriores no setor ou gerenciando uma empresa, qualquer investidor fica muito mais seguro de seguir com o investimento.

Isso diminui muito o risco da oportunidade.

Como apresentar: deixe claro logo no início da apresentação o que você já fez e que já entregou no passado que possa agregar para esse novo empreendimento.

4) Humildade e vontade de aprender

Ninguém sabe tudo.

Mesmo assim, alguns candidatos a investimento pareçam acreditar nisso.

É impossível ter todo os conhecimentos e habilidades necessárias para fazer uma empresa crescer muito e muito rápido. Por isso, é vital que o empreendedor mostre que ainda tem muito a aprender.

Como apresentar: demonstre que você está motivado para tocar a empresa adiante, mas não coloque uma agenda pessoal na frente da saúde da empresa. Quando você não for a pessoa certa para a missão, esteja aberto a contratação de alguém.

5) Capacidade de entrega e comprometimento

Geralmente investidores gostam de acompanhar os empreendedores por um período de tempo antes de decidir investir. Para tal, nesse período, analisam como a empresa evolui e o quanto o empreendedor se entrega na busca de resultados.

Como apresentar: em toda fase de uma empresa existem metas importantes. Seja objetivo e corra atrás delas de forma consistente. Informe suas conquistas mais relevantes para potenciais investidores com frequência.

6) Relacionamentos e recomendações

É muito comum que excelentes empreendedores entrem em um processo de seleção através de várias recomendações ao mesmo tempo.

Afinal, quando pessoas, nas quais o investidor confia, arriscam a sua reputação para indicar alguém, é muito provável encontrar ótimos profissionais com uma boa oportunidade nas mãos.

Além disso, empreendedores com bom relacionamento contratam melhor, captam mais dinheiro e vendem mais.

Como apresentar: busque ativamente recomendações de pessoas próximas aos investidores que você vai abordar. Para esses investidores deixe claro quão ampla é a sua rede de contatos e que você está atrás de mais opções.

7) Composição e complementariedade do time

Toda empresa deve ter no mínimo três competências principais: técnica, financeira e vendas. Assim também o risco de investir numa empresa nascente diminui muito à medida que essas missões críticas já possuem um responsável.

Como apresentar: não apresente apenas os cargos dos sócios e pessoas-chaves, mas também as responsabilidades, as metas de cada um e há quanto tempo trabalham juntos.

8) Liderança e trabalho em equipe

Mesmo com sócios executivos com participações societárias iguais, uma empresa precisa de alguém que se responsabilize pela liderança. Que ao mesmo tempo toque o bumbo e represente a empresa tanto para o mercado quanto para o conselho de administração.

Simultaneamente um líder que consiga dialogar entre o operacional e o estratégico e saiba montar um bom time. Geralmente essa função é ocupada por apenas um dos sócios. Contudo, existem situações onde essas responsabilidades são divididas entre dois ou mais sócios.

Como apresentar: apresente formalmente todos os sócios e pessoas-chaves aos potenciais investidores. Deixe que eles participem de reuniões internas e percebam como vocês trabalham em conjunto e dividem as responsabilidades.

9) Cultura e perfil das pessoas

Cada vez fala-se mais em cultura organizacional, sobre os valores que norteiam as decisões e as relações entre as pessoas numa empresa.

Sob o mesmo ponto de vista, equipes com culturas sólidas, que atuam conscientemente para fortalecê-las, alcançam resultados muito superiores.

Embora não exista um conjunto de valores mais ou menos adequado, investidores gostam de ver fatores ligados ao comportamento empreendedor e à capacidade em assumir riscos.

Como apresentar: caso você já tenha formalizado o código de cultura da sua empresa, ótimo, mostre quando a conversa estiver se aprofundando. Independentemente disso, vale a pena abrir as portas da empresa e deixar o time contar partes dos desafios do dia a dia.

10) Distribuição societária

Além de preferir uma equipe complementar, investidores geralmente gostam de ver que, nos estágios iniciais, os fundadores têm a maior parte das ações da empresa.

Além disso é importante que elas estão bem distribuídas, sem distorções e carregamentos excessivos.

Geralmente se recomenda que os fundadores permaneçam com mais de 50% até a terceira rodada de investimento. Depois do investimento-anjo, do capital semente e da série A.

Como apresentar: não tenha medo de explicitar os percentuais de cada sócio já na apresentação inicial ou pitch deck.

11) Educação e capacitação

Embora menos importante que a experiência e resultados anteriores, o histórico de formação dos profissionais envolvidos pode ajudar. Mitiga alguns riscos e valida determinadas competências.

Como apresentar: mantenha seu perfil no LinkedIn atualizado e, caso você possua uma formação muito relevante para o negócio, especialmente nas áreas técnicas, deixe claro desde o início.

 

Artigos relacionados:
Porque preferimos equipes com mais de um fundador
A opinião do investidor importa?